BLOG

Que o sexo é bom nós não temos dúvida, mas e depois dos 40? Se você está em boa saúde física e mental, não há porque não ter um sexo bom depois dos 40 anos. É claro que à medida que envelhecemos, nosso corpo e, especialmente nossos hormônios, sofrem mudanças significativas. Mas quem disse que isso é motivo para não ter um bom sexo? Desfrutar de uma vida sexual saudável e sem tabus é perfeitamente possível depois dessa idade. Mas agora, é preciso se atentar a alguns detalhes. Veja a seguir dicas sobre como fazer um bom sexo e ter uma vida sexual saudável após os 40. Como fazer um bom sexo? Se você está à procura de uma receita pronta para fazer um “sexo do bom”, sentimos informar, mas não vai encontrar. Sabe por quê? Para fazer um bom sexo é preciso se soltar das amarras do padrão. Afinal, o que funciona para uns, pode não funcionar para outros. Um bom bom sexo é aquele que agrada os parceiros, que respeita o tempo e o espaço de cada um. Por isso, a comunicação é a chave para ter uma vida sexual saudável depois dos 40. De qualquer maneira, há algumas coisas que você pode fazer e que vão melhorar a sua vida sexual e proporcionar um sexo bom e gostoso para o casal. Aceite as mudanças no seu corpo Não espere que sua barriga seja a mesma de quando você tinha 20 anos. Mudanças no corpo são normais com a idade. E, a menos que você esteja tendo problemas de saúde por conta disso, não deixe a estética prejudicar o sexo. Se você estiver proporcionando prazer à sua parceria, o que menos importa na hora do sexo é o tamanho da sua barriga. Porém nada impede que você com mais de 40 ou mesmo com mais de 60 anos, tenha um corpo saudável e inclusive melhor do que muitos jovens de 20 anos. A reposição hormonal e hábitos saudáveis irão te ajudar a alcançar isto. Elimine o cigarro da sua rotina Você sabia que o cigarro é uma excelente forma de boicotar o seu sexo? Se você quer desapontar a sua parceria na hora do sexo, continue fumando. De acordo com este estudo, publicado na Scientific Electronic Library Online (Scielo), a função erétil é diretamente proporcional ao grau de exposição ao tabagismo. Nesse sentido, parar de fumar melhora a função sexual masculina em todas as faixas etárias entre 30-60 anos de idade. Então, se quer fazer um sexo bom depois dos 40, pare de fumar agora mesmo! Beije e abrace com mais frequência É normal que na correria do dia e com as tarefas da casa, os momentos de carinho sejam menos frequentes. Mas é preciso arrumar tempo para esses momentos, mesmo em meio à rotina corrida. Isso fortalece o vínculo com a parceria e demonstra que você se importa a todo o momento e não só na hora do sexo. Divida as tarefas domésticas Você não tem o hábito de lavar os pratos, ou ajudar a tirar a mesa? Saiba que isso pode minar a sua vida sexual! Um estudo publicado em 2018 no Sage Journals, revelou que dividir as tarefas domésticas proporciona mais intimidade, desejo sexual e satisfação ao casal. Isso acontece porque ao assumir parte das tarefas da casa, a mulher fica menos sobrecarregada e vê no parceiro alguém com quem pode contar, em todas as horas, não só entre os lençóis. Portanto, se quiser impressionar a sua parceira e ter uma boa noite de sexo, vá já para a pia e veja o resultado! Tente relaxar Você já deve ter ouvido que o cérebro é o órgão sexual mais importante do corpo, mas por quê? Porque é na mente que o sexo começa. Então, se estiver estressado, pensando nos problemas corriqueiros, vai ser difícil fazer um sexo bom. Tomar um banho relaxante, beber uma taça de vinho ou assistir uma série com a parceira, pode ser ótimo para esquecer os problemas do dia e dar oportunidade para o sexo acontecer. Mas cuidado, enquanto uma taça de vinho aumenta o desejo sexual, exagerar na dose tem o efeito contrário e pode retardar a ereção ou até mesmo dificultar o orgasmo. Leia mais sobre: quando o homem ejacula rapido o que pode ser Reserve um tempo para o sexo Se você já passou dos 40 anos, já deve ter experimentado mudanças no humor, no corpo e nos hormônios. E talvez, não seja tão fácil ter momentos de sexo quando era aos 20. Os afazeres domésticos, as reuniões no trabalho, o futebol das crianças, arrumamos tempo para tudo, não é? E por que não temos tempo para o sexo? Por isso mesmo, é preciso criar oportunidades. Não que você tenha que colocar na agenda o dia de transar, não é isso. Mas é preciso reservar um tempo para a conversa, o carinho e o relaxamento a dois. Isso vai criar janelas de oportunidade para o sexo acontecer. Mas lembre-se! Não adianta chegar na cama esperando ter um sexo bom demais se durante o dia você foi um parceiro distante, estressado, que não lavou os pratos! Fale abertamente sobre sexo com sua parceria Assim como o sexo começa no cérebro, uma vida sexual saudável depois dos 40 começa na conversa. Por isso, é essencial falar sobre sexo, especialmente quando forem parceiros fixos. O que o outro gosta, o que não gosta e como você pode estar mais inteiro nesta relação. Aliado a isso, é preciso conversar sobre assuntos que podem gerar desconforto entre o casal, como: ereção, falta de libido ou ejaculação precoce. O que você não pode fazer é deixar que a falta de comunicação afete a sua vida sexual. Lembre-se, o que não é dito vira sintoma. E, às vezes, uma simples conversa pode trazer mais intimidade e a oportunidade de fazer um sexo bom. Faça do sexo uma rotina Quanto mais tempo você fica sem fazer sexo, mais difícil é fazer sexo… parece óbvio, não é? Mas é fato. Assim como o sexo aproxima o casal e gera mais intimidadem, a falta dele causa o distanciamento. De acordo com este artigo no El País, a falta de relações sexuais também pode aumentar a probabilidade de sofrer de disfunção erétil. Por outro lado, fazer sexo regularmente mantém a potência sexual assim como os exercícios mantém a forma física. Pratique exercícios físicos Falando em exercícios, eles são excelentes para fazer um sexo bom. Praticar 30 minutos de exercícios físicos por dia não é só bom para o seu coração ou para controlar o colesterol. A atividade física diária aumenta os níveis de endorfina e serotonina no corpo, além de proporcionar mais disposição. Isso tudo aumenta o desejo sexual e facilita os momentos de prazer entre o casal. Além disso, fazer exercícios de resistência ajudam a manter um peso saudável e melhorar a autoestima. Mas não é o mais relevante. Praticar exercícios aumenta a testosterona, e caso você ainda não saiba, esse é o principal hormônio do desejo sexual, de homens e mulheres. Faça reposição hormonal Falando em testosterona, depois dos 40 o ideal é que você faça exames rotineiros, como os hormonais se quiser ter uma vida sexual saudável. Com exames laboratoriais simples, é possível verificar se os níveis de testosterona estão normais ou se você precisa fazer reposição hormonal. Após os 40 anos, com uma possível entrada na andropausa, os homens têm um declínio natural dos hormônios sexuais, como a testosterona. Então, se você se sentir cansado, irritado, com baixo desejo sexual ou disfunção erétil, considere que pode estar necessitando da reposição hormonal. Considere procurar ajuda médica Se você está tendo dificuldades para ter um sexo bom, seja por problemas de ereção, falta de libido ou até mesmo por problemas psicológicos, não hesite em procurar ajuda médica. Muitos problemas relacionados ao sexo são facilmente resolvidos em uma consulta com um especialista. Então, por mais que isso pareça embaraçoso para você, pense que estas condições são bem comuns, e muitas vezes, uma medicação pode resolver. Então, se você também acredita que é possível continuar fazendo um sexo bom, mas tem medo ou vergonha de procurar um especialista. Fique tranquilo. O Instituto Cavalcanti é uma referência nacional no tratamento de disfunção sexual. Conheça o Instituto Cavalcanti de Andrologia e Performance O Instituto Cavalcanti é um centro especializado em saúde masculina e performance sexual. Nossa missão é oferecer atendimento multidisciplinar para a recuperação, otimização da capacidade física, mental e sexual do homem. Nossos especialistas são altamente treinados para oferecer soluções nas diversas áreas da medicina com a maior discrição. Tudo em um ambiente moderno e aconchegante com estacionamento privativo com manobrista, para sua maior comodidade. Quem disse que a vida depois dos 40 precisa ser sem graça? Fale com um de nossos especialistas e descubra como melhorar a sua performance sexual. Agende uma consulta com um de nossos especialistas!

Sexo bom depois dos 40: você pode continuar tendo uma vida sexual saudável

Ereção após os 40: o que fazer para melhorar a performance? Se você já passou dos 40 e tem ou teve algum problema de ereção, fique tranquilo! Você não está sozinho. De acordo o Massachusetts Male Aging Study , metade dos homens entre 40 e 70 anos experimentam algum tipo de disfunção erétil. A boa notícia é que tratar a falta de ereção é muito simples. O problema, é que o assunto ainda é um tabu para muitos homens. Se você já passou ou está passando por isso, veja neste artigo como é possível melhorar o desempenho sexual e evitar a falta de ereção seguindo medidas simples. Quando a falta de ereção é um problema? Passar por uma dificuldade de ereção ou outra não é motivo para se preocupar. Mas quando o problema se repete continuamente, pode comprometer a autoestima e desgastar a relação do casal. E, muitas vezes, um caso que poderia ser tratado rapidamente, torna-se um verdadeiro pesadelo. Por isso, por mais embaraçoso que seja, a melhor saída é procurar ajuda médica. Como melhorar a ereção? Conforme o estudo citado acima, a partir dos 40 anos, os homens começam a sofrer de problemas relacionados à ereção. E os problemas aumentam à medida que a idade avança. Segundo os pesquisadores, as chances de experimentar algum problema para ter ou como manter a ereção, aumentam em 10% a cada década. Mas, graças à evolução da medicina, o homem tem hoje à sua disposição, várias terapias desenvolvidas para melhorar o desempenho sexual. Conheça agora como melhorar a ereção e ter uma vida sexual mais saudável: Tenha uma alimentação saudável A má alimentação não impacta somente na saúde geral do homem, mas também na produção de hormônios importantes para o desempenho sexual. Se a sua alimentação tem baixa ingestão de vitaminas, antioxidantes e minerais como zinco e ferro, os seus níveis de testosterona ficam comprometidos. E isso tem um impacto direto na vida sexual. Outra coisa que prejudica a produção de testosterona são os alimentos inflamatórios. Frituras, pão branco, açúcar branco e carboidratos em geral, são altamente prejudiciais ao sistema endócrino e devem ser evitados ao máximo. Caso tenha dificuldade para implementar uma alimentação saudável em sua rotina, considere agendar uma consulta com um nutricionista. Este profissional montará um plano alimentar adequado à sua idade e ao seu estilo de vida. Tenha uma rotina de exercícios físicos diária Outra coisa que deteriora a produção de testosterona é o sedentarismo. Portanto, incluir uma rotina de exercícios físicos diários é necessária para manter os níveis de testosterona normais e não comprometer o desempenho sexual. Além disso, os exercícios físicos são excelentes para a performance sexual, pois aumentam a resistência física e melhoram o fluxo sanguíneo, aumentando a irrigação dos órgãos sexuais. Evite o consumo excessivo de álcool e drogas O consumo excessivo de álcool e drogas causa atrofia nos testículos, fazendo com que a produção de testosterona diminua, bem como a qualidade dos espermatozóides. Já o cigarro é ruim por dois motivos: primeiro porque tem um alto nível de toxicidade, segundo, porque piora a condição cardíaca. E isso influencia diretamente na qualidade da ereção. Cuide da qualidade do sono Se você é daqueles que não abrem mão de um cafezinho ao longo do dia, cuidado! O excesso de café durante o dia prejudica o sono à noite, e consequentemente, a produção de testosterona. Isso ocorre porque o estímulo da produção da testosterona ocorre entre 1h e 3h da manhã, durante o sono REM, que é aquele sono mais profundo. E se você está acordado, ou tendo um sono de má qualidade nesse período, isso vai prejudicar a produção do hormônio sexual e o seu desempenho. Nesse sentido, a questão da nutrição é muito importante. Não se trata de eliminar alimentos da sua dieta, mas entender as consequências de cada um no desempenho sexual e como você pode ajudar o seu organismo a trabalhar melhor. Mas se o problema for respiratório, considere marcar uma consulta no otorrinolaringologista. Este profissional é especialista em diagnosticar e tratar distúrbios do sono, como: apneia e ronco, que afetam cerca de 76% da população. Procure aconselhamento psicológico Se você tem a típica ereção matinal, que é uma ereção involuntária, mas não consegue ter ou manter uma ereção durante o ato sexual, é bem provável que o problema seja emocional. É importante lembrar que a excitação sexual não é apenas uma resposta física, é mental e emocional. E se você sofre para entrar no clima, é natural que tenha dificuldade para ter uma ereção. Isso pode acontecer, porque após os 40 anos é normal que tenhamos mais preocupações com a casa, com o trabalho e a família. E isso contribui para o estresse, a ansiedade e a falta de libido. Nesse sentido, procurar aconselhamento psicológico, psicoterapia ou terapia de casais pode ajudar a resolver o problema. O profissional vai ajudá-lo a entender melhor como se deu a construção da sua sexualidade e a terapia vai fornecer ferramentas para lidar com as situações de estresse que afetam o desempenho sexual e assim, alncançar um sexo bom para o casal. Agora que você já sabe como melhorar o seu desempenho sexual. Vamos entender melhor como funciona o mecanismo da ereção? O que é ereção? Uma ereção nada mais é que o endurecimento do órgão sexual masculino, pela quantidade de sangue que é direcionada para o local. Durante a excitação sexual, impulsos do cérebro e nervos locais fazem com que os músculos dos corpos cavernosos relaxem, permitindo que o sangue flua e preencha os espaços abertos. Então, o sangue cria pressão nos corpos cavernosos, fazendo com que o pênis se expanda e tenha uma ereção. Uma membrana que envolve os corpos cavernosos, ajuda a reter o sangue nos corpos cavernosos, mantendo a ereção. O que é disfunção erétil? Também conhecida como impotência, é a dificuldade em ter e manter uma ereção durante o ato sexual. Quem pode sofrer com falta de ereção? A falta de ereção pode afetar homens de qualquer idade. No entanto, como falamos anteriormente, conforme você envelhece, as chances de sofrer com o problema aumentam. Leia mais sobre: Pênis flácido Fatores físicos que prejudicam a ereção Além da má alimentação, sono ruim, consumo excessivo de álcool e sedentarismo, alguns fatores podem contribuir para a dificuldade de ereção: Doença cardíaca; Colesterol alto; Pressão alta; Diabetes; Obesidade. Fatores psicológicos que contribuem para a falta de ereção Não são somente os hábitos alimentares ou estilo de vida que prejudicam o seu desempenho sexual, os problemas a seguir podem causar ou aumentar os problemas de ereção: Depressão; Ansiedade; Estresse; Problemas de relacionamento; E as preocupações do dia a dia também podem interferir na função sexual. Tratamento para ereção fraca O tratamento para a falta de ereção vai variar de acordo com o estágio do problema. Por isso, procurar um especialista no assunto é o melhor a fazer. O medicamento para ereção é a primeira linha de tratamento. Essas medicações são um caminho interessante para tratar a condição, mas é preciso salientar que não resolvem a causa do problema e nem todos os homens se adaptam. Veja abaixo, algumas formas de tratar os problemas de ereção: Inibidores de PDE5 São medicamentos que podem ser encontrados em farmácias, em formato de comprimidos ou podem ser manipulados em forma de cápsulas e spray sublingual. Em ambos os formatos, estes medicamentos agem estimulando a ereção. Mas vale lembrar que só um especialista pode definir: a dose necessária, se será de uso diário ou somente quando for ter relação sexual, e ainda, se o paciente tem alguma contra-indicação ao medicamento. Terapia intracavernosa Nesse tratamento, são aplicadas substâncias vasodilatadoras diretamente no pênis. A injeção para ereção é aplicada na lateral do pênis, de 5 a 15 minutos antes da relação sexual, e o efeito dela pode durar de 30 a 90 minutos. Apesar de efetivas, essas aplicações podem causar fibrose no local da aplicação, e a suspensão do tratamento, que é paliativo. Prótese peniana São tratamentos mais invasivos, porque são dispositivos implantados dentro dos corpos cavernosos do pênis, mas que são bastante eficazes e com um alto grau de satisfação. É mais indicado para pacientes que não respondem a nenhum dos tratamentos anteriores. Dentre as opções de prótese peniana, temos a prótese inflável que pode ser ativada somente na hora do ato sexual e a prótese maleável ou semirrígida, na qual o pênis fica continuamente ereto. Terapia de ondas de choque de baixa intensidade Este tratamento vem sendo estudado desde 2005, e tem resultados significativos para tratar a falta de ereção quando a causa é vascular, ou seja, resultado de obstrução vascular no pênis. Este tratamento utiliza-se de ondas acústicas para estimular a microcirculação peniana, ajudando a melhorar a ereção. Este tratamento é indicado para pacientes que já não respondem aos medicamentos, ou que têm contraindicação e muitos efeitos colaterais ao usar o medicamento. Procurando ajuda médica Agora que você já sabe como melhorar a performance sexual e as opções de tratamento disponíveis para a falta de ereção, deve estar se perguntando: qual especialista procurar? A área que trata da saúde sexual masculina é a urologia ou a andrologia. E, profissionais que se especializam nesta área podem ajudar a tratar desde os problemas mais simples, com o auxílio de terapia, até os casos mais sérios. Se você está buscando ajuda para lidar com uma disfunção erétil em São Paulo, nada melhor que contar com quem é especialista no assunto. Conheça o Instituto Cavalcanti de Andrologia e Performance O Instituto Cavalcanti é um centro especializado em saúde masculina e performance sexual. Nossa missão é oferecer atendimento multidisciplinar para a recuperação, otimização da capacidade física, mental e sexual do homem. Tudo em um ambiente moderno e aconchegante com estacionamento privativo com manobrista, para sua maior comodidade. Chega de sofrer com problemas de ereção! Agende uma consulta com um de nossos especialistas e melhore o seu desempenho sexual.

Ereção após os 40: o que fazer para melhorar a performance?

Vocês sabiam que o botox no pênis pode melhorar a estética do órgão sexual e ajudar a solucionar a disfunção erétil? Continue lendo esse post para entender mais sobre o assunto. O uso do botox no pênis pode ser estético e funcional? Em 1897, descobriu-se que a toxina botulínica, que é produzida por um tipo de bactéria. Muitos anos depois, descobriu-se que tinha diversas propriedades que se comprovaram importantes na estética ao longo do tempo, como promover a paralisação da musculatura esquelética e lisa e evitar a contração muscular. Essa toxina tem 7 sorotipos, sendo o A, o mais utilizado na medicina. É nesta categoria onde está o botox. Não é de hoje que o botox é utilizado para a estética tanto na dermatologia como na cirurgia plástica. Em muitos casos, proporciona uma correção de rugas e marcas de expressão na face. Além disso, outras condições médicas também estão tendo o botox como uma forma de tratamento, como aqueles problemas relacionados ao sistema musculoesquelético. Na ortopedia e reumatologia, a toxina botulínica tem sido utilizada em condições como artrose nos joelhos ou outros problemas ortopédicos. Mas, sabia que essa substância também pode ser utilizada para patologias sexuais masculinas? Botox para disfunção erétil Diversos recursos podem ser utilizados na medicina sexual para tratar a disfunção erétil, desde os medicamentos vasodilatadores, reabilitação peniana (vacuoterapia e fisioterapia), injeções penianas e até, em último caso, o implante de próteses penianas. Agora um estudo clínico apontou que o botox também pode ser uma forma de tratamento da disfunção erétil. O estudo partiu da aplicação do botox dentro dos corpos cavernosos dos pênis de homens que apresentavam problemas de ereção e não obtiveram bons resultados com outros métodos de tratamento, como as medicações injetáveis e os remédios orais. Mais da metade desses homens relataram que, a partir da aplicação do botox no pênis com uma técnica específica, a função erétil melhorou associada a uma dosagem do medicamento Sildenafila. Então, a partir desse estudo foi levantada a hipótese que a propriedade do botox de relaxar a musculatura lisa intracavernosa do pênis, melhoraria o influxo de sangue no órgão sexual. De acordo com essa hipótese, o botox inibiria as vias adrenérgicas (que fazem a contração do pênis) e as colinérgicas e deixaria uma via ativa, que é a não adrenérgica e colinérgica, o que favorece a melhoria da ereção. Além desse estudo, outros estão em andamento com um grupo masculino maior, e também alguns resultados já foram promissores para a medicina sexual a partir de experimentos realizados em animais. Botox para estética peniana Um estudo norte-americano revelou que o uso do botox no pênis pode melhorar a aparência do órgão sexual quando está no estado flácido, ou seja, sem nenhuma atividade sexual. Muitos homens não gostam que o órgão sexual fique com uma aparência encolhida neste momento de repouso sexual ou até mesmo quando está um clima frio. Neste caso, o uso do botox no pênis, aplicado em uma fáscia da musculatura peniana, conhecida como Dartos, pode ajudar a melhorar essa aparência. Para esse resultado, são realizadas microdoses da substância diluída em vários pontos externos do pênis para paralisar a musculatura e impedir o encolhimento do órgão sexual. Esse resultado foi obtido a partir de um experimento com homens que relataram uma melhora no tamanho do pênis flácido após as microaplicações de botox. No entanto, vale ressaltar que não haverá uma mudança no tamanho do pênis ereto ou esticado. O pico da melhora da aparência do pênis flácido foi após 5 semanas da aplicação do botox. O efeito da toxina botulínica no órgão sexual será por 4 a 6 meses. Isso significa que o paciente que quiser esse efeito deverá continuar aplicando o botox após passado esse tempo. Homens com disfunção erétil precisam de ajuda médica A partir dos 40 anos, muitos homens podem manifestar algum grau de disfunção erétil. Em muitos casos, problemas de ereção podem estar relacionados à baixa hormonal, em outros, tem a ver com o próprio processo do envelhecimento, que promove um desgaste no tecido peniano. Algumas doenças como o diabetes e até problemas cardiovasculares também podem apresentar a impotência sexual como um dos sintomas. Por isso, é muito importante que os homens que estão manifestando alguma disfunção sexual, procure uma ajuda médica. A especialidade que cuida da vida sexual masculina é a andrologia, que é uma subespecialidade da urologia. Tratamento da disfunção erétil Ao procurar um médico, ele irá fazer uma anamnese profunda para entender o histórico médico do paciente, solicitar exames para entender se existem condições subjacentes que estão levando aos problemas de ereção e apresentar algumas soluções. Por exemplo, iniciar com o tratamento de primeira linha, que utiliza as medicações vasodilatadoras. Na consulta, o andrologista irá esclarecer como funciona o Viagra e outros medicamentos que têm a mesma finalidade, os efeitos colaterais, qual a dose certa caso a caso , etc. Já em outros casos, podem ser indicados tratamentos como a reabilitação peniana, para homens que ficarem com desuso sexual do pênis por muito tempo, o que inclui técnicas como a vacuoterapia, que prevê o uso de bomba peniana. Além disso, o tratamento com ondas de choque de baixa intensidade também pode ser uma solução para minimizar os problemas de ereção. Cada caso será avaliado, em algumas situações, os homens podem preferir a injeção peniana, aplicada pouco antes do momento da relação sexual. Mas se for uma disfunção erétil em jovens, o médico também irá avaliar se existe alguma condição psicogênica que está atrapalhando a vida sexual do paciente. Conclusão Quaisquer problemas relacionados à saúde masculina merecem a devida atenção. Embora os homens sejam mais receosos de frequentar consultórios médicos com mais frequência, essa iniciativa pode aliviar muitos desconfortos relacionados à vida sexual. Por isso, o ideal é que o público masculino desenvolva o hábito de frequentar o médico de forma preventiva, o que pode evitar muitos problemas.

Botox no pênis: saiba quais são as indicações

Translate »