Nódulo no pênis: o que pode ser?

Conteúdo

Você está com um nódulo no pênis? Muitos homens têm e já associam com uma doença maligna, mas esse tecido endurecido percebido no órgão sexual masculino pode se tratar de Doença de Peyronie.

Leia aqui o que pode significar essa doença, quais são os sinais e como tratar.

Nódulo no pênis: o que pode ser?

Muitas vezes, quando um homem sente um nódulo no pênis pensa que está com HPV. Em geral, o papiloma vírus se apresenta na forma de carocinhos ou verrugas ásperas ao toque no lado de fora do pênis, enquanto os nódulos que levantam preocupação ficam na parte interna do pênis. 

Quando o homem percebe essa área endurecida em algum ponto na extensão do pênis pode se tratar da Doença de Peyronie.

Nesta patologia, a fibrose interna no órgão sexual pode até parecer caroços achatados no pênis, que podem ser sentidos quando o órgão está ereto ou em repouso.

Em muitos casos, quem identifica essa fibrose são os parceiros sexuais durante momentos de carícias no pênis.

Esse nódulo no pênis trata-se de um tecido cicatricial que acaba ficando endurecido e formando a fibrose. 

A partir disso, o homem pode notar que o pênis começa a ficar torto.  Essa curvatura ocorre porque são formadas placas que modificam a anatomia do órgão quando ocorre a ereção.

Quem está com nódulo no pênis devido à Peyronie pode ter sintomas como:

  • Dor na ereção (fase inicial); 
  • Nódulo peniano (que é a placa de Peyronie), relatada pelos pacientes como um caroço no pênis;
  • Curvatura peniana adquirida;
  • Afilamento /endentações ou acinturamento do pênis; 
  • Diminuição de tamanho do pênis;
  • Disfunção erétil.

Ebook doença de peyronie

Por que surgem os nódulos no pênis?

Essas fibroses penianas são causadas por microlesões que ocorrem durante o ato sexual, especialmente quando o pênis não está totalmente rígido e acaba dobrando durante os movimentos sexuais. 

Esse não é um processo que ocorre com uma única relação, vai surgindo a partir das inúmeras relações sexuais ao longo da vida. Por isso, é que a prevalência da doença de Peyronie é maior a partir dos 40 anos. Cerca de 3 a 9% dos homens a partir dessa idade podem sofrer com o problema. Em homens diabéticos, a prevalência do problema é de até 20%, em homens que operaram a próstata o índice chega a 16%.

Com o tempo, essas fissuras vão se cicatrizando e tornam-se uma placa, que deixa o pênis torto.

Essa patologia precisa ser tratada porque pode levar a consequências mais sérias, como impotência sexual, perda de tamanho e calibre penianos e até impossibilidade de relação sexual, já que o nódulo no pênis impede a elasticidade do órgão, que pode ficar tão torto que torna praticamente impossível a penetração, que, além de tudo, a nova anatomia do pênis também pode provocar dores na parceria sexual.

Tratamento da doença de Peyronie

A doença de Peyronie tem duas fases, a primeira é conhecida como fase aguda, quando as fissuras ficam inflamadas e podem provocar dores no homem no momento da ereção e até da penetração.

Neste estágio, o pênis começa a entortar, mas ainda não é uma curvatura definitiva. Quando a doença de Peyronie está na fase aguda, o médico poderá indicar um tratamento que envolve anti-inflamatórios e até uso de dispositivos de tração, ou abordagens como terapia com ondas de choque de baixa intensidade.  

A segunda fase da doença de Peyronie é descrita como crônica, quando a curvatura já está sedimentada, em geral ocorre cerca de 1 ano após o início dos sintomas. Então, as técnicas de tração não vão mais funcionar e poderá ser considerado a  opção da cirurgia de correção peniana, para reconstrução peniana. 

A cirurgia será indicada em 3 casos: disfunção erétil associada, impossibilidade ou dificuldade de penetração e quando os parceiros se queixam de dores durante a penetração, porque o órgão torto atinge outras áreas internas.

Você está com um nódulo no pênis? Muitos homens têm e já associam com uma doença maligna, mas esse tecido endurecido percebido no órgão sexual masculino pode se tratar de Doença de Peyronie. Leia aqui o que pode significar essa doença, quais são os sinais e como tratar. Nódulo no pênis: o que pode ser? Muitas vezes, quando um homem sente um nódulo no pênis pensa que está com HPV. Em geral, o papiloma vírus se apresenta na forma de carocinhos ou verrugas ásperas ao toque no lado de fora do pênis, enquanto os nódulos que levantam preocupação ficam na parte interna do pênis. Quando o homem percebe essa área endurecida em algum ponto na extensão do pênis pode se tratar da Doença de Peyronie. Nesta patologia, a fibrose interna no órgão sexual pode até parecer caroços achatados no pênis, que podem ser sentidos quando o órgão está ereto ou em repouso. Em muitos casos, quem identifica essa fibrose são os parceiros sexuais durante momentos de carícias no pênis. Esse nódulo no pênis trata-se de um tecido cicatricial que acaba ficando endurecido e formando a fibrose. A partir disso, o homem pode notar que o pênis começa a ficar torto. Essa curvatura ocorre porque são formadas placas que modificam a anatomia do órgão quando ocorre a ereção. Quem está com nódulo no pênis devido à Peyronie pode ter sintomas como: Dor na ereção (fase inicial); Nódulo peniano (que é a placa de Peyronie), relatada pelos pacientes como um caroço no pênis; Curvatura peniana adquirida; Afilamento /endentações ou acinturamento do pênis; Diminuição de tamanho do pênis; Disfunção erétil. Por que surgem os nódulos no pênis? Essas fibroses penianas são causadas por microlesões que ocorrem durante o ato sexual, especialmente quando o pênis não está totalmente rígido e acaba dobrando durante os movimentos sexuais. Esse não é um processo que ocorre com uma única relação, vai surgindo a partir das inúmeras relações sexuais ao longo da vida. Por isso, é que a prevalência da doença de Peyronie é maior a partir dos 40 anos. Cerca de 3 a 9% dos homens a partir dessa idade podem sofrer com o problema. Em homens diabéticos, a prevalência do problema é de até 20%. Com o tempo, essas fissuras vão se cicatrizando e tornam-se uma placa, que deixa o pênis torto. Essa patologia precisa ser tratada porque pode levar a consequências mais sérias, como impotência sexual, perda de tamanho e calibre penianos e até impossibilidade de relação sexual, já que o nódulo no pênis impede a elasticidade do órgão, que pode ficar tão torto que torna praticamente impossível a penetração, que, além de tudo, a nova anatomia do pênis também pode provocar dores na parceria sexual. Tratamento da doença de Peyronie A doença de Peyronie tem duas fases, a primeira é conhecida como fase aguda, quando as fissuras ficam inflamadas e podem provocar dores no homem no momento da ereção e até da penetração. Neste estágio, o pênis começa a entortar, mas ainda não é uma curvatura definitiva. Quando a doença de Peyronie está na fase aguda, o médico poderá indicar um tratamento que envolve anti-inflamatórios e até uso de dispositivos de tração, ou abordagens como terapia com ondas de choque de baixa intensidade. A segunda fase da doença de Peyronie é descrita como crônica, quando a curvatura já está sedimentada, em geral ocorre cerca de 1 ano após o início dos sintomas. Então, as técnicas de tração não vão mais funcionar e poderá ser considerado a opção da cirurgia de correção peniana, para reconstrução peniana. A cirurgia será indicada em 3 casos: disfunção erétil associada, impossibilidade ou dificuldade de penetração e quando os parceiros se queixam de dores durante a penetração, porque o órgão torto atinge outras áreas internas. É possível corrigir os nódulos no pênis? Na cirurgia de correção peniana, os nódulos serão “desfeitos” por meio de uma técnica cirúrgica que vai deixar o pênis reto novamente. Para definir qual procedimento será utilizado, serão necessárias avaliação clínica e ultrassonografia doppler para entender qual é a melhor opção para o paciente. As técnicas utilizadas podem ser plicaturas, incisões/excisões da placa com ou sem enxerto. Técnicas diversas para expansão da túnica com implante de próteses penianas. A escolha da técnica cirúrgica vai depender do grau da curvatura, instabilidade axial e tamanho da haste peniana. Na cirurgia de Peyronie, no caso de enxertos, poderá ser realizada a abertura das placas fibróticas em múltiplas partes para restabelecer o calibre e o tamanho do pênis no limite dos feixes nervosos, vasos e da uretra. Portanto, o pênis teoricamente será alongado. Também serão realizados ajustes para garantir uma expansão da circunferência do pênis, restaurando também o calibre. Além disso, muitas vezes, a doença do pênis curvo vai provocar diversas fibroses que vão exigir que todos os nódulos do pênis sejam abertos para alinhamento do órgão sexual durante a cirurgia. Já a técnica de plicatura é mais simples. Para correção da curvatura, são realizados pontos na área sã e o pênis será encurtado no lado oposto da curvatura, permitindo que volte a ficar reto. Com essa técnica, os pacientes perdem um pouco do comprimento do pênis, cerca de 1 a 3 cm. Assim, é importante que tenham uma haste peniana mais longa. As cirurgias apresentam bons resultados, fazendo com que o paciente retome a anatomia peniana normal e melhorando suas funções eréteis e de penetração. Pós-operatório Após a cirurgia para correção dos nódulos no pênis, o paciente ficará com o órgão enfaixado por 5 dias, vai tomar medicamentos analgésicos e anti-inflamatórios. A retomada ao trabalho pode ser entre 7 e 10 dias, e das atividades físicas após 30 dias. A vida sexual pode ser retomada em 45 a 60 dias. Conclusão Se você está com nódulos no pênis, procure ajuda de um profissional especializado em medicina sexual masculina, que pode ser um urologista ou andrologista. Quanto antes buscar ajuda médica, especialmente, se ainda estiver na fase aguda, mais opções de tratamento podem ser oferecidas. Porém, caso já esteja com a curvatura sedimentada, o médico poderá indicar a melhor técnica cirúrgica para o seu caso.

É possível corrigir os nódulos no pênis?

Na cirurgia de correção peniana, os nódulos serão “desfeitos” por meio de uma técnica cirúrgica que vai deixar o pênis reto novamente.

Para definir qual procedimento será utilizado, serão necessárias avaliação clínica e ultrassonografia doppler para entender qual é a melhor opção para o paciente. As técnicas utilizadas podem ser plicaturas, incisões/excisões da placa com ou sem enxerto. Técnicas diversas para expansão da túnica com implante de próteses penianas.

A escolha da técnica cirúrgica vai depender do grau da curvatura, instabilidade axial e tamanho da haste peniana.

Na cirurgia de Peyronie,  no caso de enxertos, poderá ser realizada a abertura das placas fibróticas em múltiplas partes para restabelecer o calibre e o tamanho do pênis no limite dos feixes nervosos, vasos e da uretra. Portanto, o pênis teoricamente será alongado.

Também serão realizados ajustes para garantir uma expansão da circunferência do pênis, restaurando também o calibre.

Além disso, muitas vezes, a doença do pênis curvo vai provocar diversas fibroses que vão exigir que todos os nódulos do pênis sejam abertos para alinhamento do órgão sexual durante a cirurgia.

Já a técnica de plicatura é mais simples. Para correção da curvatura, são  realizados pontos  na área sã e o pênis será encurtado no lado oposto da curvatura, permitindo que volte a ficar reto.

Com essa técnica, os pacientes perdem um pouco do comprimento do  pênis, cerca de 1 a 3 cm. Assim, é importante que tenham uma haste peniana mais longa.

As cirurgias apresentam bons resultados, fazendo com que o paciente retome a anatomia peniana normal e melhorando suas funções eréteis e de penetração.

Pós-operatório

Após a cirurgia para correção dos nódulos no pênis, o paciente ficará com o órgão enfaixado por 5 dias, vai tomar medicamentos analgésicos e anti-inflamatórios. A retomada ao trabalho pode ser entre 7 e 10 dias, e das atividades físicas após 30 dias. A vida sexual pode ser retomada em 45 a 60 dias.

Conclusão

Se você está com nódulos no pênis, procure ajuda de um profissional especializado em medicina sexual masculina, que pode ser um urologista ou andrologista.

Quanto antes buscar ajuda médica, especialmente, se ainda estiver na fase aguda, mais opções de tratamento podem ser oferecidas. Porém, caso já esteja com a curvatura sedimentada, o médico poderá indicar a melhor técnica cirúrgica para o seu caso. 

Home – Marco Túlio

Dr. Marco Túlio Cavalcanti Urologista e Andrologista. Disfunção Erétil e Impotência sexual: dê fim a esse tormento. Prótese do Pênis: a retomada da sua vida sexual. Doença Peyronie: correção da curvatura, recuperação do tamanho e calibre do pênis. Reposição Hormonal: retome o seu desempenho.

Instagram: @dr.mtcavalcanti

Youtube: Dr. Marco Túlio Cavalcanti

www.drmarcotuliourologista.com.br

Leia também

Potência sexual: o que pode prejudicar o desempenho?

Potência sexual: o que pode prejudicar o desempenho?

A maioria dos homens sonha com uma potência sexual que garanta um bom desempenho na cama. No entanto, em certas…
Quando o homem ejacula rápido o que pode ser?

Quando o homem ejacula rápido o que pode ser?

Antes de responder, imagine a situação: você tomou aquele banho, se perfumou, tomou uma taça de vinho para relaxar, tudo…
Sexo bom depois dos 40: você pode continuar tendo uma vida sexual saudável

Sexo bom depois dos 40: você pode continuar tendo uma vida sexual saudável

Que o sexo é bom nós não temos dúvida, mas e depois dos 40?  Se você está em boa saúde…
Translate »