Pênis torto: saiba o que pode causar o problema

Conteúdo

Muitos homens, a partir dos  40 anos, começam a observar que ficaram com o pênis torto, mas não entendem bem o porquê. Geralmente, quando há modificações na anatomia peniana, o problema pode ser o surgimento da Doença de Peyronie.

Mas será que pênis torto é sempre Peyronie?

Nesse post, vamos explicar o que causa o pênis curvo, quais sintomas e como tratar essa questão que não só incomoda a parte de estética sexual mas pode levar a outros fatores mais graves, como a disfunção erétil.

Pênis torto: o que fazer?

O órgão sexual masculino tem diversos tamanhos e formatos, muitos podem apresentar até mesmo uma ligeira curvatura durante a ereção, mas quando torna-se um pênis muito torto, será que algo está errado?

O pênis torto pode ser uma consequência da doença de Peyronie, que é uma condição não cancerosa na qual o órgão sexual fica curvado durante a ereção.

Os estudos mais antigos mostravam uma prevalência de  pênis curvado acometendo de 3% a 20% da população masculina a partir dos 40 anos e novos estudos mostram que essa incidência tem crescido. Hoje, a média da incidência de pênis com curvaturas chega a acometer, em média, 8,9% dos homens.  

Em pacientes diabéticos e com disfunção erétil, a doença do pênis torto pode chegar aos 20% . Já em pacientes prostatectomizados, ou seja, que fizeram cirurgias de próstata, a incidência chega a 16%. 

O pico de incidência da doença ocorre em homens entre 45 e 60 anos de idade, mas pode acometer também idosos acima de 70 anos.

Além disso, em vários casos estudados em outros países e até mesmo nos consultórios brasileiros, como aqui no Instituto Cavalcanti, já surgiram pacientes que demonstram que a prevalência da doença que deixa o pênis torto está também acometendo os mais jovens, na casa dos 20 anos, e, inclusive, necessitando de uma cirurgia de correção peniana.

Pênis torto é normal? Depende de alguns fatores:

1- Sempre foi assim (congênito)?  Ou surgiu “do nada” a percepção que o pênis começou a entortar? Neste caso, a curvatura foi adquirida devido à  Doença de Peyronie; 

2- Grau da curvatura (ângulo): curvaturas menores de 30 graus dorsal (para cima) ou lateral (para os lados), em geral, não estão associadas a queixas. 

3 –  Se o paciente tem dificuldade na penetração. Curvaturas mais acentuadas ou curvaturas ventrais (para baixo) são anormais e devem ser tratadas.  

4-  Sexo com pênis muito torto causa dor na parceria (excluindo causas ginecológicas).

5- Se o pênis está associado com afilamento, encurtamento, perda de rigidez ou instabilidade da ponta do órgão. Fique atento a esses sinais. 

Resumindo: é normal pequenas curvaturas congênitas que não atrapalhem a relação sexual. 

infográfico dados da doença de peyronie - pênis torto

Pênis torto congênito: por que há essa curvatura?

No pênis torto congênito, o motivo da curvatura não é a doença de Peyronie. Os homens já nascem com o órgão sexual assim e só descobrem na adolescência, quando começam as ereções fortes. 

Devido ao aumento da incidência da doença de Peyronie, não é raro que algum jovem pesquise na internet: “Por que meu penis é torto?”, e a resposta que surja é que o motivo é Peyronie,  mas nem sempre é o caso.

Em geral, o órgão torto congênito sofreu uma alteração durante o seu crescimento, ou seja, um lado cresceu mais que o outro. Por exemplo, a dorsal cresceu mais do que a ventral, ou a lateral esquerda cresceu mais do que a direita. E neste ponto é que ocorrem as curvaturas.

Normalmente, o pênis curvo congênito que não atrapalha a relação sexual, não exige nenhum tipo de procedimento para corrigir a curvatura. Além disso, geralmente, quando a curvatura é congênita, não há qualquer problema relacionado à ereção.

Outro ponto é que, ao contrário do pênis torto com Doença de Peyronie, que tende a encurtar, o que tem curvatura congênita não sofre alterações em seu tamanho e calibre. Inclusive, alguns pênis tortos congênitos podem ser até mais longos.

Além disso, a curvatura congênita é homogênea, não existem placas fibróticas, enquanto na doença de Peyronie, além das placas palpáveis, há diversas deformidades.

Outro ponto importante, é que o homem que tem pênis curvo congênito não sente qualquer dor quando o órgão está ereto.

Ainda assim, se quem tem curvatura congênita perceber que tem dificuldades na relação sexual como dificuldade ou incapacidade de penetrar, também deve procurar um especialista (urologista/ andrologista), assim como aqueles que sofrem da doença do pênis torto (Peyronie).

Por que o pênis fica torto: fibrose peniana pode ser o motivo!

A fibrose peniana, que deixa os homens com pênis tortos, é um dos sintomas da Doença de Peyronie mais característicos. 

Essa doença do pênis torto se caracteriza pela substituição de um tecido saudável na região peniana por outro cicatricial e disfuncional. Ela causa mudanças nesta área, podendo causar deformidades, o que leva a deixar os pênis tortos

A fibrose também pode acontecer na parte interna do órgão, o que atrapalha a ereção, levando, muitas vezes, à impotência sexual. Em mais de 50% dos casos, os pacientes que têm Peyronie, podem ter uma disfunção erétil associada.

Normalmente, a fibrose peniana aparece em homens com mais de 40 anos, mas existem casos de jovens com esse problema. Por isso, deve-se sempre ficar atento a qualquer mudança no órgão genital, a fim de iniciar o tratamento da doença do pênis torto antes que a deformação fique pior.

Entenda mais no vídeo abaixo:

Por que meu pênis é torto? Quando é um pênis torto pra baixo ou lados exige ida ao médico?

Ficar com um pênis torto para baixo ou outras direções de forma muito acentuada durante as ereções pode sinalizar essa patologia de ordem sexual, que pode colocar a autoestima do paciente em risco, provocar problemas em seus relacionamentos sexuais e até mesmo chegar a um ponto mais grave que é a disfunção erétil.

Muitos homens não percebem o momento que o órgão sexual começa a entortar, às vezes, só se dão conta quando o problema já é detectado a olho nu, de forma indisfarçável, quando estão com o pênis ereto torto.

Essa constatação  de um pênis torto para cima, para baixo ou para os lados de forma muito acentuada pode assustar muitos homens. Afinal, eles constatam que esse não era o formato original do órgão. 

E é bom que percebam logo que algo não está certo, para que busquem ajuda de um urologista, porque em mais de 47% dos casos, a doença evolui para uma piora. 

Ao buscar o médico, ele vai esclarecer todas as suas dúvidas e apresentar as devidas alternativas para o caso. 

Por que o pênis é torto?

A comunidade científica já percebeu que a principal causa da doença do pênis torto são microtraumas provocados pela própria relação sexual, masturbação, ereções noturnas, etc., porém, lesões sofridas em atividades atléticas e outros acidentes também poderão estimular o problema.

No caso das lesões repetidas na relação sexual, a curvatura pode ocorrer porque durante uma relação em que o homem não está com uma ereção plena, na hora da penetração, algumas dobras são sofridas pelo órgão, o que pode gerar algumas fissuras internas.

Com o tempo, a cicatrização dessas fissuras levam a fibroses que vão fazer o pênis ficar torto.

Muitos homens que têm distúrbios do tecido conjuntivo poderão apresentar a patologia. Nesses casos, é possível perceber espessamentos em outras partes do corpo, mas outras condições também favorecem a patologia:

  • Idade: costuma surgir aos 40 anos, mas aumenta a possibilidade com o avanço da idade;
  • Predisposição genética;
  • Diabetes;
  • Pacientes com problemas vasculares arteriais;
  • Tabagismo;
  • Cirurgia de próstata;
  • Síndrome metabólica;
  • Desuso do pênis, etc.

Guia completo: doença de peyronie

Quais outros sintomas da patologia do pênis torto?

Além da curvatura em si — pênis torto para cima ou para baixo, pênis torto para esquerda ou direita, ou em mais que uma direção–, a patologia pode causar sintomas que podem variar de paciente para pacientes. Conheça alguns:

  • Curvatura para cima (dorsal) é a mais comum (70% nos casos de doença de Peyronie), nas laterais ocorre um pouco menos, e a curvatura ventral é a mais difícil;
  • Calcificações no septo (dentro do pênis), não há curvatura, mas vai ter outros sintomas;
  • Dor quando o pênis está ereto, esse sintoma ocorre na fase aguda devido ao processo inflamatório. Poucos pacientes também relatam dor com o pênis flácido;
  • Diminuição do tamanho do pênis em até 7 centímetros;
  • Ponta do pênis pode ficar mole;
  • Instabilidade axial, perda da capacidade do pênis de suportar uma carga ou uma resistência;
  • Perde a capacidade de penetrar de forma eficaz; 
  • Afilamento do pênis;
  • Algumas curvaturas poderão levar o pênis a ter até mesmo a ter uma deformidade no formato de ampulheta, porque a doença acomete a camada interna da túnica albugínea, o que tornará praticamente impossível uma penetração sexual;
  • Paciente consegue palpar a placa fibrótica;
  • Não tem amplitude no movimento de penetração;
  • Disfunção erétil, etc.

Com todos esses problemas, o homem poderá ter uma séria dificuldade de penetração, provocada pela angulação do pênis.

Além da dor que o próprio homem poderá sentir ao desenvolver esse problema, o sexo com pênis torto também pode gerar dor na parceria, porque a curvatura poderá esbarrar em outras estruturas internas que vão inviabilizar a relação sexual. 

Essa situação pode levar o homem ao desuso do órgão, que vai impactar a vida sexual e a qualidade de vida dele. Em desuso, ele vai deixar de ter ereções, que são essenciais para que o tecido não se deteriore, evolua para uma disfunção erétil ou até mesmo para atrofia peniana.

São duas fases que marcam a patologia:

  • Na fase aguda, que é quando o pênis começa a ficar torto, podem surgir dores durante a ereção. A dor pode diminuir com o tempo, mas a curvatura pode  piorar.
  • Já na fase crônica, que é quando o pênis já está curvo, as dores podem parar de ocorrer, porém, fica a deformidade no órgão sexual.

Até chegar à fase crônica, o encurtamento e curvatura do pênis podem piorar gradualmente. Normalmente, a estabilização pode ocorrer em até 1 ano após o início dos sintomas. Tem pacientes que já estabilizam em semanas 

Assim, quando o pênis fica torto o homem poderá sofrer também de problemas secundários:

  • Ansiedade ou estresse porque suas habilidades sexuais ou até mesmo a aparência do seu pênis não estão compatíveis com o que espera. Em quase 50% dos pacientes com doença de Peyronie, uma depressão pode ser deflagrada;
  • Estresse no relacionamento;
  • Dificuldade de engravidar a parceira porque a relação sexual é difícil.

Para chegar a um diagnóstico da doença, o médico urologista vai conhecer a história clínica do paciente, realizar exames físicos, que pode incluir a palpação do local para identificar as fibroses.

No próprio consultório, o médico também poderá realizar um exame de ultrassonografia doppler para avaliar a hemodinâmica do pênis,  grau da curvatura, afilamento, instabilidade axial,  tamanho da haste do pênis, tamanho da placa de Peyronie, presença de calcificações e a função erétil.

Buscar o tratamento na fase inicial do problema, vai dar mais chances de tentar resolver o problema de forma mais precoce sem a necessidade da cirurgia.

Tem como evitar um pênis ereto torto provocado por Peyronie?

A prevenção da doença vai consistir também em cuidar mais da própria saúde, como manter uma vida com hábitos saudáveis e controlar suas doenças, tomar cuidado com a intensidade do sexo para evitar as lesões durante o ato, etc.

Veja nesse vídeo abaixo mais detalhes sobre essa prevenção da Doença de Peyronie:

Como arrumar pênis torto: há tratamento?

Não há muitos médicos especializados nessa patologia, e ainda muito se estuda sobre esse problema. No entanto, é importante ressaltar que a volta da curvatura do órgão de forma espontânea e natural não é comum, mas sim, há tratamentos para pênis tortos, tanto para correção da curvatura, como para recuperação do tamanho e do calibre do pênis.

Os exames clínicos e o ultrassom doppler peniano, com fármaco ereção, vão apresentar resultados que serão determinantes para qual tipo de tratamento deverá ser realizado com o paciente. Por exemplo, se é um pênis grande e torto poderá ser prescrito um tratamento diferenciado de um pênis médio ou curto. Conheça alguns tratamentos:

Medicamentos

Na fase aguda, os tratamentos podem incluir medicamentos para a dor e antioxidantes, ondas de choque, etc.

Vacuoterapia e exercícios

Outro recurso utilizado nesta fase para pênis torto é com uso de VACUOTERAPIA E  EXTENSORES penianos ESPECÍFICOS, para estimular que o pênis volte a ficar reto. 

Há dois tipos de dispositivos para ajudar a “desentortar” o órgão: vácuo manual e automático.

Em ambos os casos, o pênis será introduzido no dispositivo e estimulado a ficar ereto, dilatado e bem reto por um determinado tempo.

Esse tratamento vai promover exercícios para Peyronie indicados para pequenos defeitos, visando diminuir a chance de progressão da doença e melhora de curvaturas pequenas. 

Tudo tem que ser orientado pelo especialista (dose, forma de uso e duração do tratamento). 

Inclusive, o médico irá orientar que os pacientes não sintam dor durante esses exercícios. Se isso ocorrer, devem diminuir a pressão do vácuo.

Cirurgia: pênis torto para esquerda, direita, para cima ou para baixo

Já na fase crônica, quando a curvatura peniana ficou estabelecida, o recurso de tratamento é cirúrgico.

Há algumas técnicas que podem ser utilizadas para cirurgia de Peyronie: plicaturas e enxertos.

No caso das plicaturas, o paciente deverá ter uma haste longa e uma curvatura menor que 60 graus. Nesta técnica são  realizados pontos  na área sã para fazer uma correção da curvatura. 

O pênis será encurtado no lado oposto da curvatura, permitindo que volte a ficar reto. Quando é realizada essa correção, o paciente perde comprimento no tamanho do pênis. 

Os enxertos são para pacientes de haste média ou curta e curvatura acima de 60 graus. É uma técnica de alongamento. 

A área da cicatriz é cortada e substituída por um enxerto de tecido. O tipo de tecido depende da avaliação do cirurgião.

Para casos de disfunção erétil provocada pela doença de Peyronie,outro tratamento é uma cirurgia de  implante peniano. A técnica utilizada visa restaurar o tamanho e o calibre do pênis no limite do feixe vasculonervoso e da uretra do paciente. 

Para quem está em busca de soluções para pênis torto, como deixar reto, e melhorar a vida sexual novamente, a melhor iniciativa é buscar um profissional em quem confie. 

Mesmo que os homens sejam muito mais resistentes a tratamentos médicos, esse é o melhor caminho para resgatar um sexo de qualidade e a consequente retomada da autoestima.

Leia mais:


Home – Marco Túlio

Dr. Marco Túlio Cavalcanti Urologista e Andrologista.

Disfunção Erétil e Impotência sexual: dê fim a esse tormento.

Prótese do Pênis: a retomada da sua vida sexual.

Doença Peyronie: correção da curvatura, recuperação do tamanho e calibre do pênis.

Reposição Hormonal: retome o seu desempenho.

Instagram: dr.mtcavalcanti

Youtube: Dr. Marco Túlio Cavalcanti

www.drmarcotuliourologista.com.br

 

Leia também

Potência sexual: o que pode prejudicar o desempenho?

Potência sexual: o que pode prejudicar o desempenho?

A maioria dos homens sonha com uma potência sexual que garanta um bom desempenho na cama. No entanto, em certas…
Quando o homem ejacula rápido o que pode ser?

Quando o homem ejacula rápido o que pode ser?

Antes de responder, imagine a situação: você tomou aquele banho, se perfumou, tomou uma taça de vinho para relaxar, tudo…
Sexo bom depois dos 40: você pode continuar tendo uma vida sexual saudável

Sexo bom depois dos 40: você pode continuar tendo uma vida sexual saudável

Que o sexo é bom nós não temos dúvida, mas e depois dos 40?  Se você está em boa saúde…
Translate »