Hipospádia: o que é como tratar?

Conteúdo

A hipospádia é uma malformação congênita que pode não ter sido corrigida na fase infantil e acompanha o homem até quando adulto, resultando em algumas complicações para a sua vida sexual. Saiba mais neste texto sobre hipospádia, o que é e se o problema pode ser resolvido na fase adulta. O que é hipospádia? A hipospádia é uma anomalia congênita que ocorre nos meninos e se caracteriza por uma abertura anormal da uretra. Dados da Sociedade Brasileira de Urologia apontam que pode ocorrer em 1 caso a cada 250 nascimentos de meninos, é considerada a segunda malformação urológica mais frequente. Nesta malformação, o meato uretral, que é por onde sai a urina, está em local distante da glande. Quem porta hipospádia pode ter esse buraco no pênis localizado em qualquer área da extensão da uretra, pode ser abaixo da glande ou no escroto e até mesmo próximo ao ânus. Conheça os tipos: Distal: abertura da uretra próximo da glande; Peniana: a abertura da uretra é no terço médio da haste peniana; Proximal: abertura próxima ao escroto; Perineal: é o tipo mais raro, com abertura da uretra próxima ao ânus, neste casos, o pênis também pode ser menos desenvolvido que o normal. No geral, quando esse problema é detectado ainda na infância, pode ser realizada a correção a partir dos 18 meses, mas o momento da cirurgia na infância pode ser variável também. Além disso, nem sempre é indicado fazer a correção nesta fase, mas sim, um acompanhamento com um pediatra experiente. Em muitos casos, esse problema vai acompanhar o homem por toda a vida, e será nesta fase que ele deve tomar uma decisão sobre o tratamento do problema. Hipospádia: causas As causas da hipospádia, que provoca um desenvolvimento anormal da uretra, da glande e do prepúcio durante a gestação, ainda não são completamente conhecidas. Porém, há alguns fatores de risco que podem estar relacionados, como falhas em questões hormonais, porque à medida que o feto masculino vai se desenvolvendo, alguns hormônios estimulam a formação do prepúcio e da uretra. Nos casos de hipospádia pode ter ocorrido: Defeitos na produção da enzima 5-alfa redutase; Defeitos na produção de testosterona; Falhas no receptor do hormônio masculino, etc. As alterações endócrinas relacionadas à fertilidade também têm alguma associação com o problema, alguns estudos apontam que a hipospádia pode estar associada aos tratamentos para engravidar e a fertilização in vitro, por uma má administração de progesterona no início da gravidez. Além dos problemas endócrinos, outros fatores também podem estar relacionados, como: Síndromes genéticas; Hipertensão arterial sistêmica materna e pré-eclâmpsia, o que também provoca baixo peso do bebê ao nascer; Poucos estudos científicos, que ainda precisam ser mais investigados, também ligam a ocorrência do problema à exposição da mãe a certas substâncias durante a gestação, como pesticidas e algumas substâncias químicas. Quais problemas a hipospádia causa para o homem? Essa anatomia vai trazer algumas complicações para os homens, como: Ter dificuldades de urinar em pé, porque o jato urinário é dirigido para baixo; Malformação do prepúcio; Micropênis; Dificuldade de penetração pela geometria e tamanho reduzido do pênis; Infertilidade (pacientes hipospádicos têm mais chance de serem inférteis); Ficar com o pênis torto, porque o tecido fibroso provocado pela hipospádia vai ocasionar uma curvatura peniana em direção à bolsa escrotal; Aparência inestética do pênis. Além disso, outras anomalias podem estar associadas a essa malformação, como presença de hérnia inguinal e testículo criptorquídico (quando 1 ou os 2 testículos não descem devidamente para a bolsa escrotal). Quando a hipospádia é proximal a incidência dessas anomalias pode ser de até 30%. Especialmente na adolescência e fase adulta, quando as ereções ficam mais frequentes, a hipospádia provoca uma curvatura acentuada que, em alguns casos, pode inviabilizar a relação sexual. Além disso, há uma dúvida de muitos pacientes se quem tem hipospádia pode ter filhos, devido à localização inadequada da abertura da uretra, que é por onde também sai o esperma. No geral, é possível ter filhos quando a hipospádia é distal (próximo à glande) e o paciente consegue ejacular no local correto para a fecundação no fundo vaginal. No entanto, se é uma hipospádia proximal ou perineal, é necessária a correção cirúrgica do problema porque o paciente não vai conseguir ejacular na cavidade vaginal. Leia mais sobre: Infertilidade masculina Pouco esperma Tratamentos para hipospádia Na fase infantil, podem ser administrados alguns tratamentos, inclusive alguma reposição hormonal, mas essa malformação em adultos só pode ser corrigida de forma cirúrgica para que seja realizada a reconstrução da abertura da uretra no local correto. Portanto, o paciente deve buscar um especialista em medicina sexual, com expertise neste tipo de procedimento, até porque o paciente que decide tratar na fase adulta também pode ter manifestado outras consequências do problema, além das questões sexuais, como estenose da uretra, fístulas ureterocutâneas, incrustação de cálculos urinários, etc. Em consulta, o paciente será orientado pelo médico sobre o modelo de incisão que será mais adequado para a cirurgia de hipospádia. Em geral, nesta cirurgia peniana, a abertura da uretra é reconstruída, seja no pênis aberto (hipospádia peniana) ou em outra localização. Com cuidados para não atingir vasos e nervos, o cirurgião também pode melhorar a estética peniana para que todas as funções do órgão sexual sejam cumpridas de forma eficaz. No entanto, como em toda cirurgia, essa também traz alguns riscos, como sangramentos, hematomas e infecções. Em casos mais raros, pode ocorrer também uma fístula após cirurgia de hipospádia, que é um pequeno túnel entre a pele e o canal reconstruído, que pode ter relação com a falta de experiência e rigor técnico do cirurgião. Conclusão Qualquer disfunção sexual ou problemas anatômicos no pênis podem impactar negativamente a vida de um homem adulto, portanto, é importante conhecer o próprio corpo e buscar soluções que vão ajudar em uma melhor qualidade da vida sexual. Se o homem tem hipospádia e está prejudicando a sua vida íntima, é preciso buscar ajuda para garantir mais tranquilidade e autoconfiança.A hipospádia é uma malformação congênita que pode não ter sido corrigida na fase infantil e acompanha o homem até quando adulto, resultando em algumas complicações para a sua vida sexual. Saiba mais neste texto sobre hipospádia, o que é e se o problema pode ser resolvido na fase adulta. O que é hipospádia? A hipospádia é uma anomalia congênita que ocorre nos meninos e se caracteriza por uma abertura anormal da uretra. Dados da Sociedade Brasileira de Urologia apontam que pode ocorrer em 1 caso a cada 250 nascimentos de meninos, é considerada a segunda malformação urológica mais frequente. Nesta malformação, o meato uretral, que é por onde sai a urina, está em local distante da glande. Quem porta hipospádia pode ter esse buraco no pênis localizado em qualquer área da extensão da uretra, pode ser abaixo da glande ou no escroto e até mesmo próximo ao ânus. Conheça os tipos: Distal: abertura da uretra próximo da glande; Peniana: a abertura da uretra é no terço médio da haste peniana; Proximal: abertura próxima ao escroto; Perineal: é o tipo mais raro, com abertura da uretra próxima ao ânus, neste casos, o pênis também pode ser menos desenvolvido que o normal. No geral, quando esse problema é detectado ainda na infância, pode ser realizada a correção a partir dos 18 meses, mas o momento da cirurgia na infância pode ser variável também. Além disso, nem sempre é indicado fazer a correção nesta fase, mas sim, um acompanhamento com um pediatra experiente. Em muitos casos, esse problema vai acompanhar o homem por toda a vida, e será nesta fase que ele deve tomar uma decisão sobre o tratamento do problema. Hipospádia: causas As causas da hipospádia, que provoca um desenvolvimento anormal da uretra, da glande e do prepúcio durante a gestação, ainda não são completamente conhecidas. Porém, há alguns fatores de risco que podem estar relacionados, como falhas em questões hormonais, porque à medida que o feto masculino vai se desenvolvendo, alguns hormônios estimulam a formação do prepúcio e da uretra. Nos casos de hipospádia pode ter ocorrido: Defeitos na produção da enzima 5-alfa redutase; Defeitos na produção de testosterona; Falhas no receptor do hormônio masculino, etc. As alterações endócrinas relacionadas à fertilidade também têm alguma associação com o problema, alguns estudos apontam que a hipospádia pode estar associada aos tratamentos para engravidar e a fertilização in vitro, por uma má administração de progesterona no início da gravidez. Além dos problemas endócrinos, outros fatores também podem estar relacionados, como: Síndromes genéticas; Hipertensão arterial sistêmica materna e pré-eclâmpsia, o que também provoca baixo peso do bebê ao nascer; Poucos estudos científicos, que ainda precisam ser mais investigados, também ligam a ocorrência do problema à exposição da mãe a certas substâncias durante a gestação, como pesticidas e algumas substâncias químicas. Quais problemas a hipospádia causa para o homem? Essa anatomia vai trazer algumas complicações para os homens, como: Ter dificuldades de urinar em pé, porque o jato urinário é dirigido para baixo; Malformação do prepúcio; Micropênis; Dificuldade de penetração pela geometria e tamanho reduzido do pênis; Infertilidade (pacientes hipospádicos têm mais chance de serem inférteis); Ficar com o pênis torto, porque o tecido fibroso provocado pela hipospádia vai ocasionar uma curvatura peniana em direção à bolsa escrotal; Aparência inestética do pênis. Além disso, outras anomalias podem estar associadas a essa malformação, como presença de hérnia inguinal e testículo criptorquídico (quando 1 ou os 2 testículos não descem devidamente para a bolsa escrotal). Quando a hipospádia é proximal a incidência dessas anomalias pode ser de até 30%. Especialmente na adolescência e fase adulta, quando as ereções ficam mais frequentes, a hipospádia provoca uma curvatura acentuada que, em alguns casos, pode inviabilizar a relação sexual. Além disso, há uma dúvida de muitos pacientes se quem tem hipospádia pode ter filhos, devido à localização inadequada da abertura da uretra, que é por onde também sai o esperma. No geral, é possível ter filhos quando a hipospádia é distal (próximo à glande) e o paciente consegue ejacular no local correto para a fecundação no fundo vaginal. No entanto, se é uma hipospádia proximal ou perineal, é necessária a correção cirúrgica do problema porque o paciente não vai conseguir ejacular na cavidade vaginal. Leia mais sobre: Infertilidade masculina Pouco esperma Tratamentos para hipospádia Na fase infantil, podem ser administrados alguns tratamentos, inclusive alguma reposição hormonal, mas essa malformação em adultos só pode ser corrigida de forma cirúrgica para que seja realizada a reconstrução da abertura da uretra no local correto. Portanto, o paciente deve buscar um especialista em medicina sexual, com expertise neste tipo de procedimento, até porque o paciente que decide tratar na fase adulta também pode ter manifestado outras consequências do problema, além das questões sexuais, como estenose da uretra, fístulas ureterocutâneas, incrustação de cálculos urinários, etc. Em consulta, o paciente será orientado pelo médico sobre o modelo de incisão que será mais adequado para a cirurgia de hipospádia. Em geral, nesta cirurgia peniana, a abertura da uretra é reconstruída, seja no pênis aberto (hipospádia peniana) ou em outra localização. Com cuidados para não atingir vasos e nervos, o cirurgião também pode melhorar a estética peniana para que todas as funções do órgão sexual sejam cumpridas de forma eficaz. No entanto, como em toda cirurgia, essa também traz alguns riscos, como sangramentos, hematomas e infecções. Em casos mais raros, pode ocorrer também uma fístula após cirurgia de hipospádia, que é um pequeno túnel entre a pele e o canal reconstruído, que pode ter relação com a falta de experiência e rigor técnico do cirurgião. Conclusão Qualquer disfunção sexual ou problemas anatômicos no pênis podem impactar negativamente a vida de um homem adulto, portanto, é importante conhecer o próprio corpo e buscar soluções que vão ajudar em uma melhor qualidade da vida sexual. Se o homem tem hipospádia e está prejudicando a sua vida íntima, é preciso buscar ajuda para garantir mais tranquilidade e autoconfiança.

A hipospádia é uma malformação congênita que pode não ter sido corrigida na fase infantil e acompanha o homem até quando adulto, resultando em algumas complicações para a sua vida sexual.

Saiba mais neste texto sobre hipospádia, o que é e se o problema pode ser resolvido na fase adulta.

O que é hipospádia?

A hipospádia é uma anomalia congênita que ocorre nos meninos e se caracteriza por uma abertura anormal da uretra. Dados da Sociedade Brasileira de Urologia apontam que pode ocorrer em 1 caso a cada 250 nascimentos de meninos, é considerada a segunda malformação urológica mais frequente.

Nesta malformação, o meato uretral, que é por onde sai a urina, está em local distante da glande.

Quem porta hipospádia pode ter esse buraco no pênis localizado em qualquer área da extensão da uretra, pode ser abaixo da glande ou no escroto e até mesmo próximo ao ânus. Conheça os tipos:

  • Distal: abertura da uretra próximo da glande;
  • Peniana: a abertura da uretra é no terço médio da haste peniana;
  • Proximal: abertura próxima ao escroto;
  • Perineal: é o tipo mais raro, com abertura da uretra próxima ao ânus, neste casos, o pênis também pode ser menos desenvolvido que o normal.

No geral, quando esse problema é detectado ainda na infância, pode ser realizada a correção a partir dos 18 meses, mas o momento da cirurgia na infância pode ser variável também. Além disso, nem sempre é indicado fazer a correção nesta fase, mas sim, um acompanhamento com um pediatra experiente. 

Em muitos casos, esse problema vai acompanhar o homem por toda a vida, e será nesta fase que ele deve tomar uma decisão sobre o tratamento do problema.

Hipospádia: causas

As causas da hipospádia, que provoca um desenvolvimento anormal da uretra, da glande e do prepúcio durante a gestação, ainda não são completamente conhecidas. 

Porém, há alguns fatores de risco que podem estar relacionados, como falhas em questões hormonais, porque à medida que o feto masculino vai se desenvolvendo, alguns hormônios estimulam a formação do prepúcio e da uretra. Nos casos de hipospádia pode ter ocorrido:

  • Defeitos na produção da enzima 5-alfa redutase;
  • Defeitos na produção de testosterona;
  • Falhas no receptor do hormônio masculino, etc.

As alterações endócrinas relacionadas à fertilidade também têm alguma associação com o problema, alguns estudos apontam que a hipospádia pode estar associada aos tratamentos para engravidar e a fertilização in vitro, por uma má administração de progesterona no início da gravidez.

Além dos problemas endócrinos, outros fatores também podem estar relacionados, como:

  • Síndromes genéticas;
  • Hipertensão arterial sistêmica materna e pré-eclâmpsia, o que também provoca baixo peso do bebê ao nascer;
  • Poucos estudos científicos, que ainda precisam ser mais investigados, também ligam a ocorrência do problema à exposição da mãe a certas substâncias durante a gestação, como pesticidas e algumas substâncias químicas.

ebook disfunção erétil

Quais problemas a hipospádia causa para o homem?

Essa anatomia vai trazer algumas complicações para os homens, como:

  • Ter dificuldades de urinar em pé, porque o jato urinário é dirigido para baixo; 
  • Malformação do prepúcio;
  • Micropênis;
  • Dificuldade de penetração pela geometria e tamanho reduzido do pênis; 
  • Infertilidade (pacientes hipospádicos têm mais chance de serem inférteis);
  • Ficar com o pênis torto, porque o tecido fibroso provocado pela hipospádia vai ocasionar uma curvatura peniana em direção à bolsa escrotal;
  • Aparência inestética do pênis.

Além disso, outras anomalias podem estar associadas a essa malformação, como presença de hérnia inguinal e testículo criptorquídico (quando 1 ou os 2 testículos não descem devidamente para a bolsa escrotal). Quando a hipospádia é proximal a incidência dessas anomalias pode ser de até 30%.

Especialmente na adolescência e fase adulta, quando as ereções ficam mais frequentes, a hipospádia provoca uma curvatura acentuada que, em alguns casos, pode inviabilizar a relação sexual.

Além disso, há uma dúvida de muitos pacientes se quem tem hipospádia pode ter filhos, devido à localização inadequada da abertura da uretra, que é por onde também sai o esperma. 

No geral, é possível ter filhos quando a hipospádia é distal (próximo à glande) e o paciente consegue ejacular no local correto para a fecundação no fundo vaginal. No entanto, se é uma hipospádia proximal ou perineal, é necessária a correção cirúrgica do problema porque o paciente não vai conseguir ejacular na cavidade vaginal.

 Leia mais sobre:

Veja mais sobre infertilidade neste vídeo:

Tratamentos para hipospádia

Na fase infantil, podem ser administrados alguns tratamentos, inclusive alguma reposição hormonal, mas essa malformação em adultos só pode ser corrigida de forma cirúrgica para que seja realizada a reconstrução da abertura da uretra no local correto. 

Portanto, o paciente deve buscar um especialista em medicina sexual, com expertise neste tipo de procedimento, até porque o paciente que decide tratar na fase adulta também pode ter manifestado outras consequências do problema, além das questões sexuais, como estenose da uretra, fístulas ureterocutâneas, incrustação de cálculos urinários, etc.

Em consulta, o paciente será orientado pelo médico sobre o modelo de incisão que será mais adequado para a cirurgia de hipospádia

Em geral, nesta cirurgia peniana, a abertura da uretra é reconstruída, seja no pênis aberto (hipospádia peniana) ou em outra localização. 

Com cuidados para não atingir vasos e nervos, o cirurgião também pode melhorar a estética peniana para que todas as funções do órgão sexual sejam cumpridas de forma eficaz.

No entanto, como em toda cirurgia, essa também traz alguns riscos, como sangramentos, hematomas e infecções. Em casos mais raros, pode ocorrer também uma fístula após cirurgia de hipospádia, que é um pequeno túnel entre a pele e o canal reconstruído, que pode ter relação com a falta de experiência e rigor técnico do cirurgião.

Conclusão

Qualquer disfunção sexual ou problemas anatômicos no pênis podem impactar negativamente a vida de um homem adulto, portanto, é importante conhecer o próprio corpo e buscar soluções que vão ajudar em uma melhor qualidade da vida sexual.

Se o homem tem hipospádia e está prejudicando a sua vida íntima, é preciso buscar ajuda para garantir mais tranquilidade e autoconfiança.

Home – Marco Túlio

Dr. Marco Túlio Cavalcanti Urologista e Andrologista. Disfunção Erétil e Impotência sexual: dê fim a esse tormento. Prótese do Pênis: a retomada da sua vida sexual. Doença Peyronie: correção da curvatura, recuperação do tamanho e calibre do pênis. Reposição Hormonal: retome o seu desempenho.

Instagram: @dr.mtcavalcanti

Youtube: Dr. Marco Túlio Cavalcanti

Leia também

Potência sexual: o que pode prejudicar o desempenho?

Potência sexual: o que pode prejudicar o desempenho?

A maioria dos homens sonha com uma potência sexual que garanta um bom desempenho na cama. No entanto, em certas…
Quando o homem ejacula rápido o que pode ser?

Quando o homem ejacula rápido o que pode ser?

Antes de responder, imagine a situação: você tomou aquele banho, se perfumou, tomou uma taça de vinho para relaxar, tudo…
Sexo bom depois dos 40: você pode continuar tendo uma vida sexual saudável

Sexo bom depois dos 40: você pode continuar tendo uma vida sexual saudável

Que o sexo é bom nós não temos dúvida, mas e depois dos 40?  Se você está em boa saúde…
Translate »