Potência sexual: o que pode prejudicar o desempenho?

Conteúdo

A maioria dos homens sonha com uma potência sexual que garanta um bom desempenho na cama. No entanto, em certas fases da vida, percebem que nem sempre isso é possível. Veja neste texto quais fatores podem impedir que um homem possa se manter em atividade sexual pelo tempo que desejar. O que é potência sexual e por que ela decai? A potência sexual pode ser definida como a capacidade de realizar e consumar o ato sexual. Para isso, o público masculino precisa alcançar, manter a ereção e chegar à ejaculação e orgasmo. Mas, em muitos momentos, os homens percebem que a própria performance sexual se modificou e está prejudicada. E existem inúmeros motivos para que isso aconteça. A idade é um dos principais vilões da potência sexual masculina, e é natural que os homens tenham um declínio em seu desempenho a partir dos 40 anos. Dessa idade em diante, é até bastante comum que manifestem algum grau de disfunção erétil. Porém, o envelhecimento não é o único fator que impede uma potência sexual máxima. Em muitos momentos, até os mais jovens podem perceber que estão com alguma disfunção sexual. Leia mais: Com quantos anos o homem perde a potência Conheça alguns fatores de risco que podem levar ao problema: Sedentarismo É verdade que o envelhecimento é um dos fatores que levam à falta de potência sexual. Porém, quando um homem é sedentário, não praticando nenhum tipo de atividade física, esse problema pode surgir mais rápido, com mais força e atingir em cheio a vida sexual dele. Ao não praticar atividades físicas, os homens podem ter problemas de condicionamento físico e até prejuízo nos vasos sanguíneos, o que causa estresse oxidativo, antecipando o processo do envelhecimento. Diabetes e doenças cardiovasculares As doenças cardiovasculares também causam prejuízos à vascularização do organismo dos homens, sendo a diabetes um dos grandes fatores de risco. Em geral, homens que têm problemas cardíacos sofrem com entupimentos de vasos, inclusive da região peniana. Portanto, se há problemas na circulação sanguínea, muito provavelmente, terão dificuldades na irrigação do pênis para alcançar e manter a ereção. Em muitos casos, essas doenças podem levar à impotência sexual. Estresse, depressão e ansiedade Quando as pessoas estão estressadas, deprimidas ou com algum grau de ansiedade ficam com dificuldades em encontrar prazer nas mais variadas atividades, inclusive, nas sexuais. Além disso, no estresse intenso, há um grande aumento de cortisol e adrenalina no organismo, afetando o sistema límbico, responsável pela produção da serotonina que leva à sensação de alegria e prazer. Assim, com esses níveis hormonais reduzidos, consequentemente, o desejo sexual também cai. Assim, diversas questões emocionais podem provocar a disfunção erétil em jovens também. Uso de drogas O uso das mais variadas drogas ilícitas pode ter um efeito bastante negativo sobre a potência sexual, prejudicando a libido, ereção, ejaculação e orgasmo. As drogas podem impedir as devidas reações químicas do organismo para promover a ereção e todo o processo da atividade sexual. Isso ocorre porque impedem a ação da dopamina e da testosterona no corpo, que são essenciais para o desejo. Além de prejudicar a vascularização peniana, que é fundamental no processo da ereção, as drogas também causam alterações de neurotransmissores que são importantes para a ejaculação e o orgasmo, porque afetam os reflexos espinhais. Medicamentos Quando os homens fazem uso de medicamentos para tratamento de depressão, eles podem perceber que estão com algum prejuízo na potência sexual. Assim como as drogas ilícitas, esses medicamentos também vão causar alterações em transmissores e também inibir o sistema nervoso central, reduzindo alguns níveis hormonais. O resultado disso é um ataque direto ao desejo sexual e, consequentemente, à potência sexual. Mas não são somente os antidepressivos que podem causar falta de potência sexual, mas também medicamentos para hipertensão arterial e úlceras, anticolinérgicos, medicamentos para tratamento de câncer, etc, que prejudicam os receptores de serotonina. Tabagismo Além de causar diversas doenças, como câncer de bexiga, pulmão, boca e laringe, o consumo contínuo do cigarro por muitos anos pode provocar o mesmo efeito das doenças coronarianas no organismo, que é o entupimento de vasos e artérias. A explicação é que as 4.720 substâncias tóxicas presentes no cigarro aumentam a formação de placas de gordura nos vasos sanguíneos, alterando o sistema vascular do homem e tornando mais difícil a circulação sanguínea nos corpos cavernosos do pênis, porque a nicotina interfere na válvula que regula a entrada e saída do pênis. Leia mais: Disfunção erétil em jovens O que é bom para aumentar a potência sexual? Se um homem está buscando um remédio para potência sexual, a primeira iniciativa deve ser buscar um médico especializado em medicina sexual masculina, que é o urologista ou andrologista. Na consulta, além de uma boa anamnese, que vai investigar o histórico médico do paciente, e realizar o exame clínico, o andrologista também vai solicitar diversos exames laboratoriais para analisar outros marcadores no organismo, para entender se existem doenças subjacentes que precisam ser tratadas, como a hipertensão e diabetes. Além de analisar a parte clínica, o médico também poderá indicar uma mudança nos hábitos de vida, como o início de atividades físicas ou até mesmo uma alteração da dieta. Por isso, em muitos casos, pode haver também a prescrição de certos alimentos para aumentar a potência sexual. Já quando o paciente quer aumentar a potência sexual e é fumante, a primeira orientação médica é que ele pare de fumar. Pesquisas médicas já revelam que apenas cessar esse vício, pode ajudar muito na qualidade da vida sexual. Esse também é o principal aconselhamento no que diz respeito ao consumo de drogas: parar com o uso. Em relação ao uso de medicamentos para algumas doenças, é preciso avaliar junto com o médico a dosagem dessas medicações ou adotar uma abordagem conjunta multidisciplinar. Em outros casos, o médico também poderá prescrever comprimido para potência sexual, que são os inibidores das 5 fosfodiesterase (sildenafila, tadalafila, vardenafila, entre outros), que são a primeira linha de tratamento da disfunção erétil. No entanto, quando o problema tem origem psicogênica, o andrologista poderá também associar o tratamento clínico com uma indicação de terapia sexual. Conclusão A consulta com o médico é essencial para determinar o tratamento, portanto, não basta apenas buscar um remédio para aumentar a potência sexual sem qualquer orientação. A solução passa sempre por buscar um especialista no assunto, porque o tratamento é diferente para cada caso.

A maioria dos homens sonha com uma potência sexual que garanta um bom desempenho na cama. No entanto, em certas fases da vida, percebem que nem sempre isso é possível.

Veja neste texto quais fatores podem impedir que um homem possa se manter em atividade sexual pelo tempo que desejar. 

O que é potência sexual e por que ela decai?

A potência sexual pode ser definida como a capacidade de realizar e consumar o ato sexual. Para isso, o público masculino precisa alcançar, manter a ereção e chegar à ejaculação e orgasmo.

Mas, em muitos momentos, os homens percebem que a própria performance sexual se modificou e está prejudicada. E existem inúmeros motivos para que isso aconteça.

A idade é um dos principais vilões da potência sexual masculina, e é natural que os homens tenham um declínio em seu desempenho a partir dos 40 anos. Dessa idade em diante, é até bastante comum que manifestem algum grau de disfunção erétil.

Porém, o envelhecimento não é o único fator que impede uma potência sexual máxima. Em muitos momentos, até os mais jovens podem perceber que estão com alguma disfunção sexual.

Leia mais:

Conheça alguns fatores de risco que podem levar ao problema:

Sedentarismo

É verdade que o envelhecimento é um dos fatores que levam à falta de potência sexual. Porém, quando um homem é sedentário, não praticando nenhum tipo de atividade física, esse problema pode surgir mais rápido, com mais força e atingir em cheio a vida sexual dele.

Ao não praticar atividades físicas, os homens podem ter problemas de condicionamento físico e até prejuízo nos vasos sanguíneos, o que causa estresse oxidativo, antecipando o processo do envelhecimento.

Diabetes e doenças cardiovasculares

As doenças cardiovasculares também causam prejuízos à vascularização do organismo dos homens, sendo a diabetes um dos grandes fatores de risco. Em geral, homens que têm problemas cardíacos sofrem com entupimentos de vasos, inclusive da região peniana.

Portanto, se há problemas na circulação sanguínea, muito provavelmente, terão dificuldades na irrigação do pênis para alcançar e manter a ereção.

Em muitos casos, essas doenças podem levar à impotência sexual.

Estresse, depressão e ansiedade

Quando as pessoas estão estressadas, deprimidas ou com algum grau de ansiedade ficam com dificuldades em encontrar prazer nas mais variadas atividades, inclusive, nas sexuais.

Além disso, no estresse intenso, há um grande aumento de cortisol e adrenalina no organismo, afetando o sistema límbico, responsável pela produção da serotonina que leva à sensação de alegria e prazer. Assim, com esses níveis hormonais reduzidos, consequentemente, o desejo sexual também cai.

Assim, diversas questões emocionais podem provocar a disfunção erétil em jovens  também.

Uso de drogas 

O uso das mais variadas drogas ilícitas pode ter um efeito bastante negativo sobre a potência sexual, prejudicando a libido, ereção, ejaculação e orgasmo.

As drogas podem impedir as devidas reações químicas do organismo para promover a ereção e todo o processo da atividade sexual.

Isso ocorre porque impedem a ação da dopamina e da testosterona no corpo, que são essenciais para o desejo.

Além de prejudicar a vascularização peniana, que é fundamental no processo da ereção, as drogas também causam alterações de neurotransmissores que são importantes para a ejaculação e o orgasmo, porque afetam os reflexos espinhais.

Medicamentos

Quando os homens fazem uso de medicamentos para tratamento de depressão, eles podem perceber que estão com algum prejuízo na potência sexual.

Assim como as drogas ilícitas, esses medicamentos também vão causar alterações em transmissores e também inibir o sistema nervoso central, reduzindo alguns níveis hormonais. O resultado disso é um ataque direto ao desejo sexual e, consequentemente, à potência sexual. 

Mas não são somente os antidepressivos que podem causar falta de potência sexual, mas também medicamentos para hipertensão arterial e úlceras, anticolinérgicos, medicamentos para tratamento de câncer, etc, que prejudicam os receptores de serotonina.

Tabagismo

Além de causar diversas doenças, como câncer de bexiga, pulmão, boca e laringe, o consumo contínuo do cigarro por muitos anos pode provocar o mesmo efeito das doenças coronarianas no organismo, que é o entupimento de vasos e artérias.

A explicação é que as 4.720 substâncias tóxicas presentes no cigarro aumentam a formação de placas de gordura nos vasos sanguíneos, alterando o sistema vascular do homem e tornando mais difícil a circulação sanguínea nos corpos cavernosos do pênis, porque a nicotina interfere na válvula que regula a entrada e saída do pênis. 

Leia mais:

Ebook Disfunção erétil

O que é bom para aumentar a potência sexual?

Se um homem está buscando um remédio para potência sexual, a primeira iniciativa deve ser buscar um médico especializado em medicina sexual masculina, que é o urologista ou andrologista.

Na consulta, além de uma boa anamnese, que vai investigar o histórico médico do paciente, e realizar o exame clínico, o andrologista também vai solicitar diversos exames laboratoriais para analisar outros marcadores no organismo, para entender se existem doenças subjacentes que precisam ser tratadas, como a hipertensão e diabetes.

Além de analisar a parte clínica, o médico também poderá indicar uma mudança nos hábitos de vida, como o início de atividades físicas ou até mesmo uma alteração da dieta. Por isso, em muitos casos, pode haver também a prescrição de certos alimentos para aumentar a potência sexual.

Já quando o paciente quer aumentar a potência sexual e é fumante, a primeira orientação médica é que ele pare de fumar. Pesquisas médicas já revelam que apenas cessar esse vício, pode ajudar muito na qualidade da vida sexual.

Esse também é o principal aconselhamento no que diz respeito ao consumo de drogas: parar com o uso.

Em relação ao uso de medicamentos para algumas doenças, é preciso avaliar junto com o médico a dosagem dessas medicações ou adotar uma abordagem conjunta multidisciplinar.

Em outros casos, o médico também poderá prescrever comprimido para potência sexual, que são os inibidores das 5 fosfodiesterase (sildenafila, tadalafila, vardenafila, entre outros), que são a primeira linha de tratamento da disfunção erétil.

No entanto, quando o problema tem origem psicogênica, o andrologista poderá também associar o tratamento clínico com uma indicação de terapia sexual.

Conclusão

A consulta com o médico é essencial para determinar o tratamento, portanto, não basta apenas buscar um remédio para aumentar a potência sexual sem qualquer orientação.

A solução passa sempre por buscar um especialista no assunto, porque o tratamento é diferente para cada caso.

Home – Marco Túlio

Dr. Marco Túlio Cavalcanti Urologista e Andrologista. Disfunção Erétil e Impotência sexual: dê fim a esse tormento. Prótese do Pênis: a retomada da sua vida sexual. Doença Peyronie: correção da curvatura, recuperação do tamanho e calibre do pênis. Reposição Hormonal: retome o seu desempenho.

Instagram: @dr.mtcavalcanti

Youtube: Dr. Marco Túlio Cavalcanti

www.drmarcotuliourologista.com.br

Leia também

Ter bolinhas no pênis é normal?

Ter bolinhas no pênis é normal?

Já percebeu se você tem umas bolinhas no pênis, mais especificamente ao redor da glande? Sabe do que se trata?…
Esperma amarelo está associado a doenças?

Esperma amarelo está associado a doenças?

Você sabia que um esperma amarelo pode denotar algum problema de saúde no homem? Leia neste texto como perceber que…
Ereção fraca: 5 condições que estão associadas

Ereção fraca: 5 condições que estão associadas

A ereção fraca pode ter inúmeros fatores e nem sempre está associada diretamente à disfunção erétil definitiva. Neste texto, entenda…
Translate »