Ereção fraca: 5 condições que estão associadas

Conteúdo

A ereção fraca pode ter inúmeros fatores e nem sempre está associada diretamente à disfunção erétil definitiva.

Neste texto, entenda as causas que podem levar a uma ereção não muito potente.

Por que o homem tem uma ereção fraca?

Dados da Sociedade Brasileira de Urologia revelam que ao menos 50% dos homens adultos já sofreram algum tipo de problema relacionado à ereção em algum momento da vida.

Mas, muitas vezes, os homens sentem que estão com a potência sexual comprometida porque não estão tendo ereções fortes. Quando isso ocorre, é preciso investigar as causas, porque nem sempre se trata de um problema físico.

Além disso, é preciso diferenciar se a ereção passou a ser mais fraca ou se essa é uma característica do próprio homem.

As ereções têm um espectro muito grande, como acontece com várias características das pessoas, como capacidade respiratória ou desempenho físico. Isso ocorre com as mais variadas funções do corpo humano, ou seja, as ereções também variam de indivíduo para indivíduo.

Ereção forte x ereção fraca

Dentro desse espectro há o que é considerado normal, ou seja, o que é mais frequente dentro desse aspecto sexual. Muitos manifestam uma ereção forte e potente independentemente de estilo de vida, parceria sexual, uso de álcool ou outras substâncias, etc. 

Já outros, desde sempre, percebem que a ereção não atinge os 100% e não são muito fortes, não atingem uma frequência muito grande, nem mesmo na ereção espontânea noturna ou na masturbação. É a própria fisiologia do homem que não oferece uma rigidez tão forte. 

Em alguns casos, esse tipo de paciente que tem ereção mais fraca pode evoluir para uma disfunção erétil relacionada às questões psicológicas, desenvolvendo uma ansiedade de performance, por exemplo, quando vai a um primeiro encontro ou se encontra diante de uma parceria sexual que possa intimidá-lo.

Nessas situações, o paciente sabe que não tem uma ereção muito boa, passa a não ter confiança em si mesmo e com isso são liberadas substâncias no organismo como adrenalina, noradrenalina e epinefrina, que podem “desligar” a ereção.

Nestes indivíduos, a disfunção erétil orgânica também pode ser deflagrada porque de falha em falha, ele começa chegar a um ponto de desuso do pênis, que pode levar o órgão, inclusive, a atrofiar se ficar muito tempo sem atividade sexual.

Ebook Disfunção erétil

Causas que podem estar relacionadas a uma ereção fraca

Uma ereção fraca deve ser investigada porque pode ter algumas causas psicológicas e físicas que precisam ser tratadas:

1 – Psicológicas

Muitas vezes, a ereção fraca ocorre devido às questões psicológicas. Pode ser por um estresse gerado por questões financeiras ou no trabalho, problemas no relacionamento ou relacionados à saúde de familiares, vício em pornografia e até depressão.

A depressão e a tristeza alteram a libido porque também causam queda na dopamina,  serotonina e na ocitocina.

Além disso, como já citado, também há as ansiedades de performance, que podem ocorrer em situações pontuais.

2 – Baixa hormonal

Quando o homem está com uma baixa de testosterona, um dos problemas que pode manifestar é uma ereção fraca, já que está com a libido prejudicada pela falta do hormônio. Por isso, também percebe que há uma diminuição das ereções matinais e noturnas espontâneas.

Mas, além disso, ele também pode sentir indisposição física, alterações no humor, problemas de sono, redução de massa muscular e do volume ejaculatório, etc.

3 – Falta de hábitos saudáveis

Homens que não têm hábitos saudáveis, ou seja, fumam, bebem, dormem e se  alimentam mal, assim como não praticam atividades físicas, podem sofrer com ereções fracas.

Já foi comprovado cientificamente que os bons hábitos ajudam a evitar a diminuição de certos hormônios no organismo, que vão impactar diretamente a qualidade da ereção, como a testosterona.

4 – Fuga venosa

A fuga venosa tem como característica uma dificuldade que alguns homens manifestam em manter o sangue dentro do pênis para a ereção.

É uma questão que gera muitas dúvidas e nem sempre é conhecida nos consultórios médicos. Antes era um assunto ligado às condições vasculares, mas, com o tempo, percebeu-se que não se tratava disso.

Quem tem fuga venosa, em geral, revela aos médicos a perda constante de ereção, que nem chega a ser 100% e não consegue completar o ato sexual. Quando o homem tem esse problema, a ereção é fraca mesmo tomando medicamentos vasodilatadores.

A rigidez peniana pode ficar prejudica até mesmo diante de algumas posições sexuais.

5 – Doenças

Diversas doenças podem prejudicar a ereção, por exemplo, a diabetes causa impotência, mas há um grande espectro de patologias que prejudicam a questão sexual.

Entre elas, além da diabetes, estão a hipertensão, doenças inflamatórias crônicas (que podem causar placas de aterosclerose nas artérias do pênis), respiratórias e cardiovasculares. 

Em muitos casos, essas patologias prejudicam o fluxo sanguíneo no corpo, o que afeta também a irrigação peniana, que é fundamental para atingir a ereção.

Tratamento para ereção fraca

Se o homem quer saber como melhorar a ereção, ele precisa buscar ajuda profissional. Em muitos casos, pode procurar um urologista ou andrologista, que poderá até indicar um tratamento multidisciplinar com sexólogos e psicólogos, caso a questão seja psicogênica.

Se o problema tiver causas físicas associadas, também serão indicados os tratamentos específicos:

  • Em qualquer caso, o médico irá sugerir também a adoção de hábitos saudáveis, como equilibrar a dieta, começar a praticar atividades físicas e parar de fumar;
  • Nos casos de ereção fraca por baixa de testosterona, o urologista irá indicar uma reposição hormonal que vai produzir melhoras rápidas no desempenho físico e sexual. A reposição pode ser realizada por via injetável, oral, gel e implante de pellets;
  • Para a fuga venosa, o médico irá solicitar diversos exames para definir o diagnóstico exato, e definir o tratamento, que pode ser realizado por meio de  medicamentos vasodilatadores, e até novos métodos como as terapias de PRP (plasma rico em plaquetas) ou ondas de choque de baixa intensidade, injeção peniana com vasodilatadores  e até implante de prótese peniana;
  • No caso das doenças, a primeira medida é regularizar todos os marcadores, tratando todas as patologias nas respectivas especialidades paralelamente aos tratamentos adotados para a questão sexual. Nestes casos, além de atividades físicas, podem ser sugeridas: reabilitação peniana, vacuoterapia, terapia de choque de baixa intensidade e até a prótese de acordo com o estágio do problema.

Conclusão

Quem tem ereção fraca precisa entender que é possível atingir um nível que é considerado normal dentro da sexualidade masculina, basta procurar o profissional certo para seguir a melhor abordagem terapêutica.

Para cada paciente serão oferecidas alternativas individualizadas de acordo com o nível do problema.

Home – Marco Túlio

Dr. Marco Túlio Cavalcanti Urologista e Andrologista. Disfunção Erétil e Impotência sexual: dê fim a esse tormento. Prótese do Pênis: a retomada da sua vida sexual. Doença Peyronie: correção da curvatura, recuperação do tamanho e calibre do pênis. Reposição Hormonal: retome o seu desempenho.

Instagram: @dr.mtcavalcanti

Youtube: Dr. Marco Túlio Cavalcanti

www.drmarcotuliourologista.com.br

Leia também

Pênis fino: é possível engrossar o órgão sexual?

Pênis fino: é possível engrossar o órgão sexual?

Desde a Antiguidade, um pênis longo e grosso é um símbolo de virilidade, mas como fica o homem que tem…
Ter bolinhas no pênis é normal?

Ter bolinhas no pênis é normal?

Já percebeu se você tem umas bolinhas no pênis, mais especificamente ao redor da glande? Sabe do que se trata?…
Esperma amarelo está associado a doenças?

Esperma amarelo está associado a doenças?

Você sabia que um esperma amarelo pode denotar algum problema de saúde no homem? Leia neste texto como perceber que…
Translate »